Em um mundo que passa por mudanças climáticas mais marcantes, com o esgotamento de recursos ambientais e com desastres naturais decorrentes da ação antrópica, ter consciência ambiental é imperativo. Isso porque ela ajuda na compreensão desses fenômenos e na resolução dos problemas para a atualidade e as gerações futuras.

Neste texto, explicaremos o que é a consciência ambiental e como ela é importante para o mundo. Traremos também algumas formas de despertar esse conhecimento nas pessoas, além de ações para levar a mudanças concretas. Boa leitura!

Afinal, do que se trata a consciência ambiental?

O homem influencia a natureza desde o estabelecimento da humanidade em sociedades. Os processos mais ambientalmente impactantes surgiram com a Revolução Industrial, na Europa, a partir dos séculos XVIII e XIX. Isso porque as indústrias começaram a explorar muita matéria-prima e a poluir a atmosfera. Além disso, incentivou a urbanização e a intensificação da produção de lixo.

Assim, da relação do homem com a natureza surge a consciência ambiental, que consiste em entender o meio onde está inserido. De modo geral, ter esse entendimento é saber o funcionamento do meio ambiente e como nossas ações causam impactos a curto, médio e longo prazo. Isso engloba o tipo de poluição gerada por diferentes atividades e os recursos demandados. 

A consciência completa não separa o ser do ambiente, mas desperta na pessoa a percepção de que as agressões à natureza serão um reflexo dela própria. Por fim, esse conhecimento precisa ser colocado em prática de forma a mitigar os efeitos negativos com ações conscientes de preservação. 

Desenvolvimento Sustentável

A consciência ambiental está diretamente relacionada à sustentabilidade porque ser sustentável significa colocar em prática ações para preservar os recursos. O desenvolvimento do mundo depende sim da exploração do capital natural, mas ele é finito e o mundo já vislumbra um esgotamento.

Assim, um desenvolvimento apenas para a lucratividade, sem se preocupar com os impactos, é egoísta e autodestrutivo. Já o sustentável se apoia em três pilares: social, ambiental e econômico. O objetivo é utilizar processos para garantir o bem-estar social e a manutenção dos recursos naturais para as gerações futuras, sem deixar de lado os ganhos econômicos.

Como despertar essa preocupação nas pessoas?

Mesmo com muito espaço para a mudança, o brasileiro tem, aos poucos, melhorado a consciência ambiental. Ele tem percebido os problemas ao redor, como a fumaça gerada por carros, os rios extremamente poluídos e os lixos nas ruas. O cenário tem se tornado otimista.

Incomodar-se com esse tipo de situação é o primeiro passo na direção certa. Mas é preciso muito mais. A geração atual de crianças vai conviver diretamente com os problemas ambientais no futuro. Por isso, ensiná-las desde cedo as boas práticas em relação a natureza é essencial. Muito já é ensinado na escola, mas também cabe aos pais fornecer uma educação ambiental aos filhos.

Uma criança é o reflexo da criação dela e dos adultos próximos. Assim, vale a pena investir em pequenas ações diárias para mostrar aos pequenos a importância de ser consciente. Uma das questões mais importantes é evitar o desperdício para não gerar mais lixo.

Além disso, é preciso mostrar como o plástico pode ser bastante prejudicial. Leve para o mercado bolsas ecológicas e use sacolas biodegradáveis para o recolhimento dos resíduos de casa. Água e energia devem ser poupadas por meio de formas de consumo que fujam do habitual.

Isso é importante esses jovens se tornarem adultos conscientes e cidadãos éticos. Preocupar-se com questões ambientais é ter consideração por todo mundo e por todas as pessoas.

e-book gratuitoPowered by Rock Convert

Ter noção do próprio consumo e buscar aperfeiçoar esse processo provoca, pouco a pouco, uma mudança nas relações comerciais. Isso porque a resposta do mercado e das empresas será transformar produtos e serviços de forma a diminuir a pegada ecológica.

Quais medidas tomar para mudar o cenário atual?

Buscar informações sobre os impactos ambientais e transmiti-las para os seus filhos é muito importante. Bem como relacionar esses impactos com processos diários e investir em ações mitigadoras. No dia a dia, os consumos mais desafiadores de serem mudados são os de água e de eletricidade.

Água

Pequenas mudanças podem gerar uma grande economia de água, o que favorece também o orçamento familiar. No caso dos banhos, por exemplo, a vazão dos chuveiros varia entre 6 e 25 litros de água por minuto, de acordo com o tamanho do aparelho e a pressão. Dessa forma, o banho de 15 minutos em um chuveiro simples pode gastar entre 90 e 375 litros.

Uma boa ideia é desligar o equipamento para se ensaboar e reduzir para cerca de cinco minutos o chuveiro ligado. Assim, o gasto cai para um valor entre 30 e 125 litros. Escovar os dentes e fazer a barba com a torneira fechada também tem um impacto positivo, deixe para a abrir o registro no momento do enxágue.

Para quem tem o hábito de lavar o quintal ou o carro, faça isso com baldes porque as mangueiras têm uma vazão de água muito maior. Isso também se aplicar para molhar plantas e gramados. É também importante fazer essas tarefas em horários mais frescos como à noite ou no início da manhã para evitar a evaporação rápida.

O reaproveitamento da água é também muito interessante. Com a captação da água da chuva, é possível substituir a encanada em várias atividades citadas, como para regar plantas e lavar o carro.

Eletricidade

A produção de energia elétrica é a grande vilã dos impactos ambientais. Isso porque o mundo cada vez mais depende de funcionalidades elétricas. No Brasil, boa parte da matriz energética depende da produção das usinas hidrelétricas, que têm um grande impacto negativo durante a instalação, devido à inundação de áreas quilométricas.

Dessa forma, a economia de energia no dia a dia é necessária e pode ser feita por meio de sensores de presença em locais como corredores e saguões, troca de eletrodomésticos sem certificação e a instalação de tomadas que desligam sozinhas após um tempo de ociosidade do equipamento conectado.

Além disso, a produção própria de energia pode ser muito benéfica. Esse é o caso da energia solar fotovoltaica que pode ser instalada em diferentes telhados e coberturas e em áreas planas como estacionamentos. Essa é uma fonte limpa e renovável para gerar economia para o consumidor.

Pronto! Agora você já sabe como a consciência ambiental é importante para a preservação dos recursos e a necessidade de ser transmitida para as novas gerações. Procure, dentro da sua realidade, colocar em prática algumas das ações citadas!

Gostou deste conteúdo? Então, nos acompanhe no Facebook e no Instagram para ver as nossas postagens em primeira mão!

Comments

comments