A Disney está comprometida com sua meta de diminuir 50% de suas emissões de gás carbônico (CO2) nos próximos anos. No fim do ano passado, a empresa inaugurou uma usina de energia solar fotovoltaica de grande porte, composta por cerca de 500 mil painéis solares.

Essa quantidade tem potencial para produzir 50 megawatts de energia, suficiente para atender a demanda de dois dos seus quatro parques do complexo Walt Disney World, localizado no estado da Flórida, nos EUA.

A nova usina ocupa uma área de 270 acres destinada a fontes de energia renováveis. De acordo com cálculos da Disney, ela deve evitar a emissão de mais de 57 mil toneladas de dióxido de carbono na atmosfera. Esse valor é o equivalente `à retirada de circulação quase 10 mil automóveis alimentados por combustíveis fósseis.

Contudo, a energia produzida não será consumida diretamente pelos parques temáticos, e sim injetada na rede de energia da concessionária local.

Essa não a primeira vez que um parque da Disney age para diminuir suas emissões. No Japão, a parada noturna que acontece diariamente é feita com carros movidos a energia solar. Já o parque de Xangai, na China, começou a converter calor desperdiçado em energia, e diminuiu em 60% suas emissões de CO2.

Segundo Mark Penning, vice presidente do setor de animais, ciência e meio ambiente da Disney, os visitantes dos parques do complexo são preocupados com a preservação ecológica, o que faz com que esse tópico seja importante para a Disney também.

De acordo com a diretoria, o objetivo é que a companhia seja a mais admirada do mundo, não apenas pelo conteúdo de qualidade que cria, mas também por ser socialmente responsável.

Fonte: The New York Times

Comments

comments