É muito comum as pessoas terem dúvidas quanto a possibilidade de gerar energia solar em imóveis antigos, já que eles foram construídos em uma época na qual esse tipo de tecnologia não era nada comum. A boa notícia é que sim, você pode produzir energia a partir da irradiação do sol, desde que algumas medidas sejam consideradas.

A geração de energia solar funciona assim: as placas solares fazem a captação da luz do sol, produzindo a energia, que é levada ao inversor solar. Esse equipamento é encarregado de realizar a conversão para energia elétrica de acordo com as características da rede utilizada.

Se você deseja economizar na conta de luz, leia este post e saiba quais são os principais pontos de atenção ao instalar um energia solar em imóveis antigos.

Quais os requisitos necessários para realizar a instalação de energia solar em imóveis antigos?

O primeiro passo a ser dado é verificar o tamanho da área disponível para instalação dos painéis solares e a incidência de radiação nesse espaço. É fundamental que o ambiente não tenha árvores ou quaisquer outros objetos que façam o efeito de sombreamento em cima das placas, como edifícios, antenas etc.

Você também precisa considerar qual é a orientação e a inclinação da cobertura da sua casa ou ponto comercial onde o seu sistema fotovoltaico será instalado. Essas informações são usadas no desenvolvimento do projeto, para saber a quantidade de módulos necessários para otimização da captação de luz.

Caso seja possível colocar as placas orientadas para o norte, esse é o cenário ideal. Não havendo essa possibilidade, leste ou oeste são outras boas alternativas. Além disso, ter um telhado sem um declive ou inclinação muito acentuados também é importante.

Quais os cuidados e adaptações necessárias na estrutura do imóvel e do telhado?

As placas para geração de energia solar geram uma sobrecarga de mais de 10 kg por metro quadrado. Por essa razão, é imprescindível conferir se a estrutura do seu telhado é capaz de resistir e suportar essa quantidade de peso. Para imóveis que têm telhados de telha de cerâmica, que é o tipo mais comum, é essencial ter muito cuidado ao instalar o sistema, já que as peças podem quebrar.

Outra precaução fica a cargo da ação do vento sobre os painéis. Ao serem instalados em cima de uma área inclinada, a força do vento pode agir sobre eles mais fortemente. No entanto, existem algumas alternativas de adaptação da estrutura do imóvel que viabilizam a instalação das placas. Isso pode ser feito com caibros e vigas.

Outra opção é criar uma estrutura customizada para que o vento seja distribuído por todo o sistema, evitando pontos de sobrecarga.

Se o seu imóvel for tombado, as mudanças estruturais são limitadas. Portanto, é preciso analisar junto à prefeitura do seu município a viabilidade do projeto. Com a liberação, a atenção deve estar na laje, pois casas muito antigas não contam com impermeabilização, o que pode provocar infiltrações.

Quais as alterações nas instalações elétricas que precisam ser feitas?

Quando o assunto são imóveis antigos, as instalações elétricas podem representar um desafio. Isso porque os sistemas também podem ser antiquados, o que exigirá a utilização de um tipo de circuito elétrico específico para que as placas sejam instaladas na rede.

Uma saída é fazer uma revisão nas instalações elétricas do seu imóvel antes da implementação do projeto. Dessa maneira, você poderá garantir que os alimentadores, circuitos, quadro de distribuição e outros equipamentos fiquem em conformidade com as atuais normas.

Você também precisa saber se a sua construção tem aterramento funcional, pois isso amplia a segurança do sistema. Portanto, se não tiver, providencie! 

A distribuidora de energia da sua região tem o direito de requisitar outros itens de segurança. Sendo assim, nossa dica é que você procure checar com a empresa quais são as normas necessárias para que você instale um sistema de geração de energia solar na sua casa antes de começar o trabalho.

Por fim, o inversor do sistema não pode ter sujeiras ao ser instalado. Desse modo, esse equipamento deve ficar localizado em um lugar arejado e longe da ação do sol ou da chuva.

Quais os benefícios que a instalação de energia solar pode trazer para um imóvel antigo?

O retorno sobre o investimento da instalação de um sistema para gerar energia solar em imóveis antigos precisa ser calculado caso a caso, visto que cada casa tem uma necessidade específica. Mas, seja qual for o valor do seu projeto, dificilmente as adaptações necessárias inviabilizarão a aquisição do sistema.

O ROI para produção de energia fotovoltaica dependerá do nível de irradiação do local onde as placas serão instaladas e do valor tarifário cobrado pela concessionária da região. Normalmente, o proprietário consegue ter o seu dinheiro de volta entre 3 e 6 anos.

Outra grande vantagem de adquirir um sistema de energia solar é a baixa necessidade de manutenção. O serviço costuma se resumir à limpeza das placas para tirar a sujeira acumulada. A periodicidade será de acordo com alguns fatores. Lugares com o ar muito poluído e pouca chuva, por exemplo, requerem que as placas sejam limpas a cada 4 ou 6 meses. Já casas localizadas em áreas com muita chuva e ar limpo podem fazer a manutenção anualmente.

É importante dizer que deixar as placas solares sujas diminui a capacidade de geração de energia do sistema. Portanto, apesar de simples, a manutenção é essencial para o bom funcionamento do seu projeto. O benefício da baixa manutenção se estende aos equipamentos.

Neste post, mostramos para você que é possível gerar energia solar em imóveis antigos. Essa é uma ótima notícia para quem vive em um país como o nosso, que tem um dos valores mais altos da tarifa de luz e incidência de níveis elevados de irradiação solar. Por essa razão, gerar a sua própria energia por meio de um sistema fotovoltaico é ótimo para o seu bolso e para o meio ambiente.

Que tal simular o valor de um projeto para começar a produzir energia solar na sua casa? Acesse o site da Solarprime e faça uma simulação agora mesmo. Não deixe também de se inscrever em nosso canal no YouTube.

Comments

comments