1. Introdução

Sustentabilidade e economia são duas palavras que têm caminhado juntas nos últimos anos. A cada dia, mais pessoas estão começando a se conscientizar sobre a importância de preservar o meio ambiente e, inclusive, investir em recursos mais rentáveis. Seguindo esse tema, boa parte dos consumidores também está se deparando com inúmeras dúvidas sobre energia solar.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), até 2024 o número de residências que utilizarão a microgeração solar fotovoltaica será muito maior do que hoje — em torno de 800 mil! Mas é claro que nem todo mundo ainda sabe como é possível produzir a sua própria eletricidade ou, até mesmo, quais são os reais benefícios que esse mecanismo pode oferecer.

Por conta disso, decidimos vir até aqui esclarecer alguns pontos importantes sobre o assunto. Se você também tem interesse em adotar essa alternativa, não deixe de acompanhar a leitura para esclarecer todas as suas dúvidas sobre energia solar e tomar a melhor decisão!

2. As principais dúvidas sobre energia solar e suas respostas

Já imaginou poder tomar um banho quentinho, acender a luz da sua casa e até mesmo utilizar uma série de aparelhos eletrônicos por meio de uma fonte natural e inesgotável? Pois é exatamente isso o que acontece quando investimos na energia solar.

Atualmente, essa tem sido considerada a fonte de energia mais inteligente e moderna, já que prejudica bem menos o meio ambiente e faz com que os consumidores economizem uma boa quantia de dinheiro a longo prazo.

Só que, quando falamos sobre esse tema — que é uma tendência mundial —, automaticamente as pessoas começam a fazer vários questionamentos. Afinal, como levar esse mecanismo para a nossa residência? Como é feita a instalação desse tipo de equipamento?

Se você também possui dúvidas sobre energia solar assim, não se preocupe! Abaixo responderemos cada uma delas de modo claro e objetivo. Veja!

2.1 Quais são os tipos de energia solar disponíveis?

Hoje em dia, existem 2 tipos de sistemas de energia solar: os térmicos (destinados ao aquecimento) e os fotovoltaicos (que geram energia elétrica). O primeiro serve para quem deseja utilizar chuveiros, piscinas térmicas ou, simplesmente, manter a temperatura de um ambiente mais aquecida. O segundo, por sua vez, é recomendado para aqueles que desejam ter acesso à eletricidade, mas de maneira mais consciente e econômica.

Podemos dizer que os equipamentos utilizados para ambas as finalidades são bem parecidos visualmente: eles são retangulares, possuem tonalidades escuras e devem ser instalados nos telhados das construções, posicionados um ao lado do outro.

No sistema de energia solar térmica, os painéis contam com dutos que, ao entrarem em contato com a luz solar, conseguem aquecer a água e acumulá-lo em um tanque térmico, também conhecido como boiler.

Já no sistema fotovoltaico essas placas são produzidas a partir de células de silício, responsáveis por converter a iluminação solar em eletricidade. Em uma residência, essa opção é utilizada para o uso de lâmpadas, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, como chuveiro elétrico e ar condicionado.

2.2 Quanto um painel solar fotovoltaico consegue produzir de energia?

Essa é uma das principais dúvidas sobre energia solar, afinal, a quantidade de energia produzida pelos sistemas fotovoltaicos pode variar bastante. Tudo dependerá de alguns fatores importantes, sendo eles:

  • a potência dos painéis instalados;
  • o local onde o sistema foi instalado;
  • a orientação do painel;
  • a temperatura da região e muitos outros.

Para que você tenha uma ideia, vamos dar um exemplo simples: no Brasil, um painel solar fotovoltaico de 100 Wp de potência consegue produzir, em média, 450 Wh por dia — o equivalente a 13 kWh por mês. Interessante, não é?

2.3 Como ter um sistema de energia solar na minha residência?

O primeiro passo para instalar esse sistema na sua casa é definir quais são as suas necessidades. Por exemplo: você pretende utilizar essa fonte de energia para aquecimento ou para ter acesso à energia elétrica?

Depois dessa definição, considere contratar os serviços de uma empresa de energia solar especialista no ramo. As empresas sérias e com boa reputação no mercado costumam oferecer um orçamento que engloba todos os detalhes da instalação — desde o fornecimento do equipamento até a manutenção, quando necessário.

Para quem pretende optar pelos painéis fotovoltaicos, por exemplo, precisa ter em mente que esse tipo de sistema é composto por vários elementos que, juntos, formam o kit de energia solar. São eles:

  • painéis fotovoltaicos — são os responsáveis por captar a energia do solar e transformá-la em energia elétrica;
  • inversores — servem para transformar a chamada corrente contínua (CC) em corrente alternada (CA). Eles ainda conseguem adequar a voltagem conforme a necessidade do local;
  • controladores de carga e baterias — são utilizados somente nos sistemas isolados (off-grid) para armazenar controlar todo o carregamento de bateria.

2.4 Qual quantidade de painéis é indicada para abastecer uma casa?

Entre as dúvidas sobre energia solar mais frequentes estão as relacionadas aos painéis de energia fotovoltaica. Algumas pessoas simplesmente não fazem ideia de quantas placas são necessárias para abastecer uma residência com eficácia.

Para definir a quantidade ideal de placas o consumidor deverá analisar alguns fatores, que vão desde a potência dos painéis até o tamanho de cada um deles. O mais recomendado é conversar com profissionais especialistas no assunto, que conseguirão analisar a estrutura da sua construção, as placas que são utilizadas e, inclusive, a sua necessidade e de toda a família.

2.5 Como é realizada a instalação de um sistema de energia solar?

A instalação do sistema de energia solar dependerá do tipo de energia escolhida para a sua residência. O sistema fotovoltaico necessita não somente das placas coletoras, como também de mais alguns equipamentos fundamentais — como citamos acima.

Em geral, essa instalação leva certo tempo para ser concluída, podendo variar de 2 a 3 dias. Caso você contrate os serviços de uma empresa especializada, não precisará se preocupar com isso, já que os profissionais costumam cuidar de todos os detalhes, sempre analisando qual a melhor solução para que os aparelhos sejam instalados sem que ocorra qualquer problema no futuro.

Entre os principais quesitos que são considerados antes da instalação, podemos ressaltar:

  • o custo médio de energia elétrica utilizada na residência;
  • o número de placas que serão necessárias para suprir a demanda do local;
  • o dimensionamento inversor.

2.6 Quanto gastarei com a instalação de um sistema de energia solar?

Em um primeiro momento, muitas pessoas consideram esse investimento bastante alto. Porém, quando comparado ao retorno (a médio e longo prazo) que o consumidor terá, é possível perceber que esse valor não é tão elevado assim.

Respondendo a uma das mais comuns dúvidas sobre energia solar, podemos afirmar que o investimento com a instalação desse tipo de sistema gira em torno de R$15 mil a R$40 mil. Ainda assim, existem alternativas mais acessíveis para aqueles que querem entrar no mundo da energia solar. Alguns moradores, por exemplo, preferem começar investindo no uso de poucos painéis solares e, com o passar do tempo, vão aumentando o número de placas instaladas em suas residências.

A boa notícia é que, quando instaladas, as placas de energia solar conseguem garantir uma excelente economia de luz que pode atingir a marca de até 95%. 

2.7 Quanto tempo dura um sistema de energia solar?

Cada painel fotovoltaico apresenta vida útil de, em média, 40 anos — desde que conservados da maneira correta.

Durante a análise sobre a vida útil de um equipamento de energia solar também é preciso considerar a durabilidade dos demais elementos que compõem esse sistema, como é o caso dos inversores, que podem durar até 10 anos.

2.8 O sistema de energia solar funciona durante os dias frios, nublados e chuvosos?

Essa é uma das principais dúvidas sobre energia solar. Mas você pode ficar tranquilo, pois a resposta é sim! Mesmo nos períodos em que não há sol, os painéis fotovoltaicos conseguem funcionar. Isso porque a conversão de eletricidade das placas se dá por meio da radiação do sol, e não pela temperatura que está fazendo no momento.

Ou seja, você não precisa se preocupar, pois em qualquer ocasião será possível produzir a energia para o funcionamento dos aparelhos no seu lar.

Atenção: em situações extremas, como aquelas em que nos deparamos com chuvas por períodos prolongados ou quando há uma alta quantidade de nuvens no céu, é possível que os raios de sol não consigam atingir a superfície dos painéis fotovoltaicos como de costume. Nesses momentos, o que acontece é uma diminuição no nível de energia que será gerada no dia.

2.9 E à noite? O funcionamento é o mesmo?

Durante a noite não há a presença de iluminação solar e, por conta disso, o sistema não consegue absorver a energia necessária para convertê-la em eletricidade — todo o trabalho realizado pelo equipamento acontece de dia.

Por isso, é de extrema importância que, antes de instalar os painéis, seja realizado um mapeamento detalhado do local onde o sistema será colocado. O objetivo é conseguir aproveitar ao máximo o que o equipamento tem para oferecer.

2.10 Quando o sistema de energia solar for instalado é possível cancelar o contrato com a companhia elétrica?

De forma alguma! Mesmo com um sistema de energia solar instalado, a sua rede elétrica convencional deverá continuar intacta, assim como o seu contrato com a companhia de energia elétrica.

O motivo disso é simples: depois que o novo equipamento for instalado, a empresa responsável pela eletricidade da sua cidade passará a enviar uma conta de luz exclusiva, constando apenas os seguintes serviços:

  • a quantidade de energia elétrica produzida pela sua casa por meio da energia solar;
  • o total de energia consumida na sua casa.

Quer ver um exemplo? Caso a sua residência consiga converter 100% da energia solar em eletricidade por meio do sistema fotovoltaico, a companhia elétrica não cobrará um valor — somente uma taxa de conexão e os custos referentes à iluminação pública.

2.11 E se eu produzir mais energia do que consumir?

Esta é mais uma das dúvidas sobre energia solar mais populares entre os consumidores. Já imaginou se, em um mês, você conseguir produzir mais energia elétrica do que consumir? Bom, se isso acontecer, saiba desde já que existem algumas soluções. A primeira delas é utilizar esse excedente em outros pontos ligados à mesma rede de energia e, posteriormente, convertê-lo em créditos para a Unidade Consumidora.

Tais créditos terão um prazo de 60 meses para serem consumidos e serão usados de forma automática assim que o sistema tiver produzido menos energia do que o consumido no mês — como acontece quando há longos períodos com muitas nuvens ou chuva, por exemplo.

Há ainda uma segunda possibilidade, que é a de gerar energia em uma região e consumi-la em outros pontos do mesmo titular. Esse mecanismo é denominado autoconsumo remoto e funciona somente em áreas de responsabilidade de um mesmo centro de distribuição.

Ficou difícil de entender? Então, imagine o seguinte cenário: você possui um sistema de energia solar na sua casa de campo e, obviamente, o local vem apresentando uma geração de energia muito maior do que a que é consumida ao longo do mês. Essa quantidade excedente pode ser remanejada para a sua residência fixa, permitindo que você aproveite esse benefício em outro local.

2.12 É possível vender a energia solar excedente?

Ao instalar um sistema fotovoltaico no seu lar, instantaneamente você será considerado um produtor de energia. Isso quer dizer que, em vez de consumir a energia distribuída pela rede elétrica da sua região, você passará a utilizar a sua própria energia.

Ao falarmos sobre a energia excedente gerada, uma das dúvidas sobre energia solar que alguns consumidores levantam é a seguinte: “é possível vender essa energia e garantir ainda mais benefícios?”. No Brasil ainda não é permitido realizar esse procedimento, apenas transformar a energia excedente em créditos e, posteriormente, aproveitá-los em diferentes locais.

Essa “troca” começou a ser realizada em 2012, a partir  da autorização da Aneel com o objetivo de incentivar a distribuição de energia a partir de fontes renováveis. Aqui, vale lembrar que em nenhum momento essa troca será feita com o pagamento em dinheiro, mas com a utilização de créditos energéticos, que conseguirão proporcionar um abatimento na fatura do próximo mês.

O abatimento do valor poderá continuar até que os créditos energéticos sejam zerados. Além de oferecer mais economia aos consumidores, a técnica de “vender” energia solar para a companhia de eletricidade do seu estado é uma alternativa extremamente eficaz para quem deseja contribuir para a preservação do meio ambiente.

Outra questão que merece ser considerada é que, após “vendidos”, os créditos energéticos terão um prazo de 60 meses para serem usados, caso contrário, eles serão expirados.

2.13 Preciso de alguma adequação no sistema elétrico para a instalação da energia solar?

Esta é mais uma entre as dúvidas sobre energia solar mais comuns. Na maioria dos casos, não é preciso realizar qualquer obra de grande porte para instalar um sistema de energia solar em uma residência. Você, como morador, só precisará instalar os painéis fotovoltaicos no telhado e, posteriormente, conectá-lo à rede elétrica da sua casa. Feito isso, basta aproveitar os benefícios dessa alternativa.

Para evitar acidentes ou até mesmo danificar os equipamentos, é indicado contratar uma empresa de confiança para realizar esse tipo de instalação. Veja como o processo é simples:

  • passo 1 — um profissional fará uma visita técnica na sua residência para fornecer um orçamento;
  • passo 2 — com o orçamento aprovado, a empresa fará o projeto para instalar as placas solares;
  • passo 3 — a próxima etapa é encaminhar o projeto para a distribuidora de energia da sua região. Com isso, será possível agilizar toda a burocracia e, inclusive, conseguir conectar, com mais rapidez, o sistema de energia solar à rede elétrica;
  • passo 4 — é feita a instalação do sistema de energia solar;
  • passo 5 — é realizada a homologação da instalação dos painéis fotovoltaicos em parceria com distribuidora de energia elétrica.
  • passo 6 — tudo pronto. Você já pode aproveitar o seu sistema de energia solar com tranquilidade!

Por outro lado, se você estiver planejando instalar um sistema de energia solar em imóveis antigos, é fundamental tomar alguns cuidados. Antes de tudo, a recomendação é checar se a estrutura do telhado consegue suportar o peso dos painéis fotovoltaicos que, em geral, possuem uma carga de mais de 10 kg por metro quadrado.

Procure ainda ter atenção ao tipo de material das telhas presentes no seu telhado. Os modelos em cerâmica costumam ser mais frágeis e, por isso, é preciso ter cuidado redobrado na hora da instalação.

Por fim, os imóveis antigos e que são tombados precisam ser analisados previamente junto à prefeitura da sua região, para garantir que a instalação seja compatível com o projeto.

2.14 Vale a pena investir em energia solar?

Que a utilização dos sistemas fotovoltaicos é uma alternativa e tanto para quem deseja reduzir os gastos com a conta de energia você já sabe. Esse fator é ainda mais vantajoso quando vivemos em uma época em que as taxas relacionadas a esse tipo de serviço não param de aumentar.

Mas será que você, de fato, conhece os outros benefícios que essa alternativa é capaz de proporcionar? Se a resposta foi “não”, dê uma olhada abaixo, descubra mais sobre eles e elimine as suas dúvidas sobre energia solar de uma vez por todas!

2.14.1 Ajuda a diminuir as taxas de carbono

Quem acompanha as notícias do Brasil e do mundo deve ter notado que uma das grandes preocupações internacionais é a preservação do meio ambiente.

Líderes de vários países estão em busca de alternativas capazes de aumentar a consciência ambiental da população, reduzir os índices de poluição e evitar, assim, uma série de desastres ambientais. Felizmente, temos a energia solar como uma excelente solução para contornar esse cenário.

Hoje, esse sistema é considerado uma das principais fontes de energia limpa e um dos únicos capazes de reduzir a emissão de gases responsáveis por intensificar o efeito estufa — como o carbono —, diferentemente das tradicionais usinas termelétricas, que geram energia por meio da queima do carvão mineral.

2.14.2 Possui fácil manutenção

Outro diferencial dos sistemas de energia solar é que esses equipamentos possuem baixa manutenção. Isso mesmo! Assim que toda a instalação estiver concluída, você precisará se preocupar somente com a limpeza e a fiscalização contínua dos painéis fotovoltaicos.

Para se ter ideia, na hora de limpar o local é recomendado apenas passar um pano nas superfícies para evitar o acúmulo de sujeira. Portanto, esqueça a necessidade de gastos extras ou a preocupação com uma manutenção frequente — esses sistemas são fabricados para serem práticos e terem longa vida útil.

2.14.3 Valoriza o seu imóvel

Já imaginou poder aproveitar todos os benefícios da energia solar e ainda conseguir valorizar o seu imóvel? É exatamente isso o que esse tipo de sistema oferece.

Independentemente se a sua construção for residencial ou comercial, ao instalar um sistema de energia solar o seu valor no mercado imobiliário aumentará de forma significativa. Afinal, esses equipamentos são modernos, contam com tecnologias avançadas e, principalmente, são considerados os grandes métodos para aqueles que desejam economizar com a conta de luz.

Esta é, sem dúvida, mais uma prova de que os investimentos feitos com um sistema fotovoltaico podem voltar para o seu orçamento em um período de curto, médio ou longo prazo.

2.15 Como o Brasil está situado no cenário mundial em relação à utilização da energia solar?

Por fim, entre as dúvidas sobre energia solar que aparecem com frequência: quando o assunto é energia solar, o Brasil é visto como um dos países mais promissores do mundo — ainda mais por conta do nosso clima, que facilita a captação de iluminação solar por meio dos painéis fotovoltaicos.

Apesar dessa característica, esses sistemas ainda são pouco utilizados em terras brasileiras quando comprados às grandes potências mundiais, como é o caso da China e dos Estados Unidos.

No Brasil, os números começaram ainda tímidos, mas, nos últimos anos, pudemos observar um crescimento satisfatório. No ano passado, o país conseguiu se classificar entre as 30 nações que mais geram energia fotovoltaica no mundo e a estimativa é que, até em 2040, o país passe de 0,8% da matriz elétrica para os 32%.

São diferentes fatores contribuem para a mudança desse cenário. Um deles está no aumento das tarifas de energia, que crescem a cada ano e pesam bastante no bolso da população. Há ainda outras razões que merecem destaque, como os custos dos equipamentos de energia solar, que estão ficando mais acessíveis com o passar do tempo e, por fim, a criação dos créditos energéticos pela Aneel.

3. Conclusão

Após a leitura, conseguimos solucionar todas as suas dúvidas sobre energia solar? Como foi possível notar até aqui, existem diversas vantagens para aqueles que decidem optar por essa modalidade, que vão desde a economia do seu orçamento mensal até alguns benefícios extremamente relevantes e que farão toda a diferença para o meio ambiente no futuro.

Tem mais: o quanto antes começarmos a investir nessas alternativas, mais rapidamente conseguiremos desfrutar dos seus inúmeros diferenciais, como conseguir economizar mais no fim do mês, ter um bom retorno de investimento e poder colaborar para a diminuição dos índices de poluição no Brasil e no mundo. Pense nisso!

Agora que já respondemos as mais comuns dúvidas sobre energia solar, que tal continuar por dentro de mais conteúdos exclusivos como este? Então assine a nossa newsletter e receba todas as novidades em primeira mão!

Comments

comments